Engana-se quem pensa que a publicidade existe apenas em anúncio de rádio, TV, jornal e internet. A publicidade e propaganda se faz presente frequentemente em nosso dia a dia, através de produtos, embalagens, ações de rua, lançamentos de livros, filmes e séries, e uma infinidade de outros assuntos. Basta olhar ao nosso redor, e pronto: somos impactados por peças publicitárias o tempo todo.

O que muita gente não sabe, é que cores, fontes, imagens e ilustrações são pensadas nos mínimos detalhes para que a publicidade possa atingir o seu objetivo, seja ele, sensibilizar, conscientizar, promover ou despertar qualquer tipo de emoção ou desejo.

Aproveitando o gancho dessa sexta-feira 13, nós viemos mostrar alguns anúncios e estratégias de divulgação de filmes e séries de terror. Preparados?

 

AHS – American Horror Story

A famosa série de terror American Horror Story, criada por Ryan Murphy e Brad Falchuk, conta com oito temporadas, e recebeu boas críticas em quase todas. E é claro que o bom marketing foi um dos grandes responsáveis, pois, quanto mais expectativas, mas interessante pode ficar o produto!

Para o anúncio da primeira temporada, por exemplo, a emissora FX lançou uma campanha chamada “House Call”, em que os telespectadores poderiam se inscrever e ficar cara-a-cara com um personagem da série. Antes da estreia da série, a FX lançou 10 pistas sobre a série no canal oficial do YouTube. Em setembro de 2011, a emissora lançou um site que permitia que o público visitasse a Murder House ao longo das décadas e procurassem essas pistas.

 

IT: A COISA

O remake do clássico filme de terror, adaptado do livro de Stephen King de 1986 e que fez um sucesso imenso nos anos 90, voltou com tudo para as telinhas em 2017 e agradou muito os telespectadores! Mas é claro que o sucesso do filme também ocorreu devido às grandes estratégias utilizadas para divulgá-lo. Confere aí algumas delas:

Balões vermelhos por todos os lados:

Quem já assistiu esse filme sabe que os balões vermelhos representam muito na história e nada melhor que utilizá-los na divulgação não é mesmo? Tudo começou na semana de estreia do filme quando uma bexiga vermelha surgiu na janela do autor do livro e a partir daí outras estratégias foram desenvolvidas. Na Premiere do filme, por exemplo, haviam várias pessoas vestidas como Jorge segurando um balão vermelho. Já aqui no Brasil, as bexigas foram espalhadas em bueiros e quem o puxasse ganhava o ingresso para assistir os filmes no cinema.

Vídeo 360° e Jogo em 8 bits

A experiência em 360° foi inclusa em mais uma peça de promoção do filme. Nele, o público podia vivenciar a experiência de Jorge quando seu barquinho cai dentro do bueiro, igual a cena do filme. Já o Jogo em 8 bits, foi produzido para remeter a década de 80, período em que o filme foi lançado pela primeira vez. Nele o público controlava o barquinho de Jorge através das setas do teclado ou celular, pegando os balões (olha eles aqui de novo) e fugindo dos obstáculos do caminho.

Filtro do Snapchat (que nostalgia!)

Foi criado um filtro bem bacana também com a cena do personagem Jorge, em que ele brinca com seu barquinho na chuva com sua famosa capa amarela. Além disso, ao acionar o filtro, uma bexiga com o rosto de Pennywise aparece flutuando na frente do seu rosto.

 

ANNABELLE 3: DE VOLTA PARA CASA

Dias antes do lançamento do filme, a avenida paulista ganhou um novo enfeite: a própria boneca utilizada nas gravações. Primeiramente, o armário foi exposto vazio pelas ruas de São Paulo, criando expectativas nos pedestres que ali passavam. Depois de alguns dias, a boneca apareceu no painel, causando calafrios em quem passava por ali.

 

HOST

Esse aí a gente assistiu, viu? Todos juntinhos na sala, comendo pizza e levando vários sustos! Brincadeiras à parte, o filme Host é bem diferente do que estamos acostumados. Além de possuir uma duração menor do que a maioria dos filmes, ele é todo reproduzido em uma sala de reuniões de videochamada do Zoom.

O filme foi gravado durante a pandemia, também com o intuito de mostrar esse período que estamos vivendo e trazer o terror para a nova realidade. Há boatos que alguns aqui da Planejar não dormiram depois de ver o filme esse filme de espíritos.

 

Em todos esses casos, notamos o papel da publicidade e propaganda, desde a escolha das fontes até as fotografias dos cartazes. A maioria dos filmes de terror trazem em sua composição visual um misto de cores escuras com o intuito de trazer um lado mais sombrio ao público, na publicidade chamamos isso de psicologia das cores.

As fontes utilizadas em cartazes, por exemplo, são sempre agressivas, fortes, com um toque clássico, mas que sempre contrastam fortemente com os outros elementos. Vermelho e branco são as cores mais utilizadas em fontes que lembram sangue escorrendo, vidro quebrado, fumaça ou arranhados. Adivinha, esses elementos de design também são pensados nos mínimos detalhes para impactar (e assustar) a audiência.

E por falar em arranhões, fumaça e sangue, eles também estão muito presentes na composição da imagem dos cartazes com o intuito de trazer esse lado assustador e macabro, e também como forma de relembrar os grandes sucessos de terror de décadas passadas que já traziam essa composição visual.

A publicidade, juntamente com as estratégias de divulgação, gera curiosidade nas pessoas e faz com que esses filmes queiram ser vistos, apesar da sensação de medo ou por causa dela. Afinal, é quase impossível assistir um filme ou série de terror sem levar um susto, ficar arrepiado ou apreensivo.

O impacto das publicidades nos filmes de terror, fazem com que a indústria cresça e se firme no mercado, aumentando inclusive os números nas bilheterias de cinema. E claro, que tudo que é feito na pré-divulgação leva um pouquinho da publicidade e propaganda, além de ter o intuito de causar medo no público, mas também instigar a curiosidade.

E aí, já tinha percebido esses detalhes? Aposto que agora os cartazes de filmes e séries nunca mais serão o mesmo!